Google+ Followers

sábado, abril 10, 2010

MP Federal vai investigar o apresentador do Programa RP-2

O Ministério Público Federal em Ponta Grossa instaurou ontem procedimento administrativo para apurar possível abuso no exercício da liberdade de radiodifusão contra o apresentador do programa RP-2, exibido de segunda à sexta-feira pela TV Vila Velha, José Carlos Stachowiak, o Zeca.
Segundo o MP, o trabalho irá apurar se houve emprego do canal de comunicação para a prática de delitos de injúria e ameaça, "conduta essa que pode configurar infração a normas relativas à prestação do serviço público federal de radiodifusão.
O MP recebeu da Comissão de Direitos Humanos da Câmara de Deputados, por meio da Coordenação da Campanha "Quem financia a baixaria é contra a
cidadania", contendo diversas manifestações referentes ao programa Rádio Patrulha – RP2 transmitido no dia 31 último.
Zeca teria respondido no ar de forma agressiva, ofensiva e desproporcional a um texto crítico elaborado por Lucas Nobuo Waricoda, acadêmico do Curso de Jornalismo da Universidade Estadual de Ponta Grossa, fato noticiado por inúmeros meios de comunicação.
O MP considerou as queixas formuladas e também as notas de solidariedade e repúdio do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Paraná, da Sociedade
de Direitos Humanos para a Paz e do Grupo Tortura Nunca Mais do Paraná, instaurou o procedimento. O órgão já solicitou à direção da TV Vila Velha o encaminhamento da cópia de mídia virtual contendo, na íntegra, o programa RP-2 do dia 31.
A televisão Vila Velha tendo em vista os desagradáveis acontecimentos e repercussões negativas, envolvendo o apresentador José Carlos Baptista Stachowiaki e o acadêmico de jornalismo da Universidade Estadual de Ponta Grossa, Lucas Nobuo Waricoda, vem informar;O diretor presidente da TV Vila Velha, João Barbiero, divulgou nota no início da noite informando que a Vila Velha mantinha um contrato de locação de espaço televisivo com o apresentador José Carlos Stachowiaki, mas que diante os fatos envolvendo o apresentador foram motivos suficientes para a rescisão unilateral do acordo,sendo o programa imediatamente retirado já a partir de quinta-feira.
Barbiero acrescenta que a direção da TV Vila Velha não tinha condições legais e nem pratica de censura prévia, por tratar-se de um programa exigido ao vivo e com produção independente. Para o empresário, "cada um deve responder pessoalmente por eventuais abusos na liberdade de informar".
O professor Sérgio Gadini, do Departamento de Jornalismo da UEPG, aplaude a decisão do Ministério Público Federal. "A reação do apresentador (Zeca) foi violenta, com ameaças explícitas, então é muito pertinente a ação do MP em apurar o mau uso de um veículo de comunicação".
Para ele, Zeca poderia muito bem ter solicitado espaço para o blog laboratorial dos acadêmicos do 2º ano de Jornalismo, onde foram publicadas as críticas a seu programa para apresentar outra análise de seu programa, como ocorre sempre com cidadãos que discordam de opiniões que expressam a
seu respeito ou a um tema. "Eu mesmo já me manifestei nos jornais sobre opiniões que vieram de encontro às minhas convicções. Qualquer cidadão tem esse direito", conclui.

DC

Nenhum comentário:

Postar um comentário